<body><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\07534810176\46blogName\75Portuga+Burro\46publishMode\75PUBLISH_MODE_BLOGSPOT\46navbarType\75BLUE\46layoutType\75CLASSIC\46searchRoot\75http://portugaburro.blogspot.com/search\46blogLocale\75pt_PT\46v\0752\46homepageUrl\75http://portugaburro.blogspot.com/\46vt\75-495728423096836425', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

sábado, Novembro 04, 2006

Anota Aí

O portuga Manuel atende o telefone:

— Está lá?

— Estou cá, quem está lá?

— Cá está Manuel, quem está lá?

— Cá está a Maria, poderias chamar o Joaquim se faz favoire?

— O Joaquim não está...

— Ó Raios! Será que poderias anotar o número do meu telefone e pedir para que ele me ligue mais tarde se faz favoire?

— Claro, ó pá! Podes dizeire o número...

— Anota aí: dois zero, cinco, sete quatro, oito nove

O portuga burro anotou assim:

00 5 4 4 4 4 4 4 4 9 9 9 9 9 9 9 9

terça-feira, Outubro 24, 2006

O Portuga e a Escada

Numa rua de São Paulo, um portuga ficava subindo e descendo sem parar de uma escada, segurando em uma das mãos uma fita métrica. Toda vez que o portuga chegava no topo da escada, a fita escorregava e caia da sua mão, obrigando o portuga a descer pra apanhar a fita no chão. Observando a agonia do portuga estúpido, um pedestre resolve ajudar:

— Ei Portuga! Porque você não deita essa escada no chão pra poder tirar sua medida com mais facilidade?

— Ó raios, mas brasileiro é burro mesmo ó pá! Não estas a veire que eu quero medir a altura da escada e não seu comprimento ó pá?

domingo, Outubro 22, 2006

Tiago VAGAROSO Monteiro vive piada de português

Fonte: GLOBOESPORTE.COM

SÃO PAULO - Depois reclamam que o brasileiro faz piada sem motivo com os portugueses... Contrariado com o fato de ter ficado sem tempo na classificação deste sábado, o que o levou para a 21ª posição do grid de largada para o Grande Prêmio do Brasil, o piloto português Tiago Monteiro saiu com essa em matéria para a inglesa Autosport:

----------------
- Ó raios, Infelizmente cometi o erro "mais burro" da minha carreira na Fórmula 1 ó pá. Obviamente, eu estava a pisaire baixo porque era uma volta de classificação, mas subi na zebra da curva sete (a Ferradura), de alta velocidade, e o carro rodou, com o motor a apagaire ó pá.
----------------

Este sábado realmente não foi dos melhores para o nosso Vagaroso (não é piada não... esse é o sobrenome de Tiago Vagaroso da Costa Monteiro) em Interlagos. Aliás, o dia não foi bom para a MF1, que viu seu outro piloto, Christijan Albers, ficar em 17º no grid, apenas quatro posições à frente de Monteiro. Além disso, antes de ficar sem tempo, Tiago Monteiro tomou uma punição de US$ 2mil por cruzar a linha que demarca a saída dos boxes.

Que dia, hein, Vagaroso...

quinta-feira, Outubro 19, 2006

Diferenças Entre os Alunos Portugas

Você sabe qual a diferença entre o aluno portuga burro e o experto?

Aluno portuga burro: Copia no caderno tudo o que o professor escreve na lousa. Depois quando o professor apaga a lousa ele também apaga tudo o que escreveu no caderno.

Aluno portuga experto: Nem perde tempo copiando no caderno o que é escrito na lousa porque sabe que o professor, mais cedo ou mais tarde, vai apagar tudo mesmo.

terça-feira, Outubro 17, 2006

PubliciOtários Portugas

Eu sei que é dificil de acreditar mas estas advertências realmente estão escritas em embalagens de produtos vendidos em Portugal. Coletados, em apenas duas horas, em um hipermercado português:

Na embalagem do sabonete antiséptico Dial:
"INDICAÇÕES: UTILIZAR COMO SABONETE NORMAL"
(Eu só fico aqui imaginando como seria um sabonete "anormal")

Em alguns pacotes de refeições congeladas Swan:
"SUGESTÃO DE APRESENTAÇÃO: DESCONGELAR PRIMEIRO"
(É só uma sugestão, ok? Vai saber, de repente os portugas podem estar a fim de chupá-las como um picolé.)

Numa touca de banho:
"VÁLIDO PARA UMA CABEÇA"
(Pense bem, não seria romântico colocar a sua cabeça e a de sua amada na mesma touca de banho?)

Na sobremesa Tiramisú da marca Tesco, impresso no lado de baixo da caixa:
"NÃO INVERTER A EMBALAGEM"
(Ops! Se você leu o aviso é porque já inverteu seu imbecil!)

No pudim da Marks & Spencer:
"ATENÇÃO: O PUDIM ESTARÁ QUENTE DEPOIS DE AQUECIDO"
(Genial! E depois ainda dizem que este povo é burro!)

Na embalagem do ferro de passar Rowenta de fabricação alemã:
"NÃO ENGOMAR A ROUPA SOBRE O CORPO"
(Adoraria conhecer a infeliz criatura que não deu ouvidos a este aviso)

Num medicamento pediátrico contra o catarro infantil, da Boots:
"NÃO CONDUZA AUTOMÓVEIS E NEM MANEJE MAQUINARIA PESADA DEPOIS DE TOMAR ESTE MEDICAMENTO"
(É verdade! Pense em quantos acidentes nós teriamos evitado se conseguíssemos manter essas crianças de quatro à oito anos de idade longe dos volantes dos carros e da maquinaria pesada.)

Nas pastilhas para dormir da Nytol:
"ADVERTÊNCIA: PODE PRODUZIR SONOLÊNCIA"
(Pode não, deve! Foi exatamente prá isso que eu comprei seu imbecil).

Numa faca de cozinha:
"IMPORTANTE: MANTER LONGE DAS CRIANÇAS E ANIMAIS DE ESTIMAÇÃO"
(Caso vocês não saibam é comum em Portugal cães e gatos comerem usando facas)

Numa caixa de luzes para decoração de Natal:
"USAR APENAS NO INTERIOR OU NO EXTERIOR"
(Alguém poderia me dizer afinal qual é a terceira opção?)

Nos pacotes de amendoim da Sainsbury:
"AVISO: CONTÉM AMENDOINS"
(Ahhhh verdade? Que mania de estragar as surpresas!)

Numa serra elétrica da Husqvarna, de fabricação sueca:
"NÃO TENTE DETER A SERRA COM AS MÃOS OU OS GENITAIS"
(Poxa, ainda bem que eles avisaram! Sabe, muitas pessoas tem esse típico costume português de parar serras elétricas com os genitais ao invés de apertar o botão de desligar.)

Num saquinho de batatas fritas:
"VOCÊ PODE SER O VENCEDOR. NÃO É NECESSÁRIO COMPRAR. MAIS DETALHES DENTRO DO PACOTE".
(Precisa comentar?)

Numa fantasia infantil de Super-Homem:
"O USO DESSE TRAJE NÃO O TORNA APTO A VOAR".
(Quanta crueldade! Pra que destruir assim a imaginação dos portuguinhas estúpidos?)

domingo, Outubro 15, 2006

Antivírus Português

Este é o antivírus para computador mais comprado pelos portugas. Uma criação 100% portuguesa com certeza.

sábado, Outubro 14, 2006

Os Portugas Não São Burros Ó Pá!

Portugal resolveu de uma vez por todas provar ao mundo que essa história de portugas burros era tudo invenção. Para tanto reuniu 50 mil portugas em um estádio de futebol de Lisboa para realizar um teste de inteligência.

O locutor do evento escolheu então entre os presentes o senhor Manuel como voluntário para realizar o teste:

Locutor: — Senhoire Manuel diga-me quanto é três mais três?

Manuel: — Ora pois pois esta é fácil, a resposta é oito.

A multidão inconformada começou a berrar:

Multidão: — Dá mais uma chance! Dá mais uma chance!!

Locutor: — Vamos tentar mais uma vez senhoire Manuel, quanto é dois mais dois?

Manuel: — Ó pá, essa é ainda mais fácil, dois mais dois é igual a seis.

A multidão de portugas ainda sem acreditar continua o berreiro:

Multidão: — Dá mais uma chance!!! Dá mais uma chance!!!

Locutor: — Muito bem, esta é sua última chance senhoire Manuel. Quanto é um mais um?

Manuel: — Ó pá, essa já complica um pouco, mas acho que um mais um é igual a dois.

Multidão: — Ó senhoire locutor dá só mais uma chance para ele!!! Só mais uma chance ó pá!!!

sexta-feira, Outubro 13, 2006

O Portuga Peidorreiro

Todo dia era a mesma coisa, o portuga Manuel enchia a pança de bacalhau, deitava no sofá da sala pra cochilar e ficava soltando peidos sem parar. Não agüentando mais aquilo sua mulher, a Maria, resolveu dar fim de uma vez por todas naquela situação desagradável:

— Escutes o que vou falar-te Manuel, um dia de tanto peidares ainda vais botaire as tripas todas para fora!

— Ó raios Maria, não sejas parva! Deixe-me dormir em paz ó pá.

Enquanto o Manuel roncava e peidava sem parar no sofá a Maria foi até a cozinha, pegou um kilo de lingüiça que ela havia comprado no açougue e enfiou com cuidado, dentro das calças do Manuel, para não acordá-lo. Depois foi estender roupa no varal do quintal enquanto esperava o Manuel acordar... Alguns minutos mais tarde ela começa a escutar gritos, choro e gemidos vindo da sala:

— Aí Jizuix... hmmmm.... ufffffff.... arghhhhh...... Ó Maria acuda-me!! aaaaaiiiiii..... hmmmmm....

A Maria não conseguia conter as gargalhadas, esperou alguns minutos e finalmente foi até a sala com um ar sério como se não soube-se de nada. Encontrou o portuga Manuel chorando no sofá:

— Aí porque não te escutei Maria? Tinhas razão, de tanto peidaire eu botei todas as minhas tripas para fora ó pá....

Segurando o riso a Maria com um ar de preocupação pergunta:

— Eu te avisei Manuel... mas diga-me uma coisa, doeu muito?

— Aí Maria, quando elas saíram eu não senti nada, mas na hora de metê-las todas para dentro de novo... AÍ COMO DOEU!!!!

quinta-feira, Outubro 12, 2006

Alá!

Um paquistanês, um turco e um portuga foram condenados à morte na cadeira elétrica. O primeiro a ir para a execução foi o paquistanês que era mulçumano e começou a gritar:

— Alá! Alá!! Aláááá!

E como um milagre a cadeira elétrica não funcionou!

Foi trazido então o turco que também era mulçumano e gritava:

— Alá! Alá!! Alááááá!

E mais uma vez a cadeira elétrica não funcionou!

Finalmente chegou a vez do portuga Manuel ser executado e ele começou a gritar:

— Alá! Alá!! Alá a tomada da cadeira elétrica desligada ó pá!!

quarta-feira, Outubro 11, 2006

O Telefonema

O telefone toca na casa de uma família portuguesa em Lisboa:

Trim... Trim... Trim...

— Está lá?

— Estou cá, quem está a falaire?

— Aqui é a Maria, empregada da casa.

— Olá Maria, sou eu seu patrão. Se faz favoire, chame a tua patroa para mim?

— Sim senhoire, aguarde um instante...

Alguns segundos depois a Maria regressa ao telefone:

— Está lá?

— Estou cá Maria, cadê minha esposa?

— Desculpe senhoire mas quando entrei no quarto pra chamar sua esposa encontrei-a nua, fiquei com vergonha e saí sem dizer nada.

— Ó raios Maria deixes de ser parva! Volte lá e chame minha esposa, preciso muito falar com ela.

— Está bem senhoire, aguarde um instante...

Alguns segundos depois volta novamente a Maria ao telefone:

— Está lá?

— Estou cá Maria, e agora onde está minha esposa ó pá?

— Desculpe senhoire mas vou ter de dizer a verdade...

— Verdade? Que verdade Maria?

— Eu voltei pro quarto da patroa, ela ainda estava nua e... e... com outro gajo também nu lá dentro...

— Ó raios! Pelos bigodes de Nossa Senhoira de Fátima! Aquela desgraçada me paga, preciso lavaire minha honra com sangue... Maria sabes onde guardo minha arma não sabes?

— Sei sim senhoire....

— Pois bem, pegue minha arma e mate os dois para mim Maria!

— Não senhoire! Não posso fazer isso...

— Cala-te! Faça o que estou a dizer ou quando eu chegar aí além de matar os dois, mato a ti também! Não te preocupes rapariga pois eu assumirei a autoria do crime.

— Está bem senhoire, eu faço...

— Vá lá e volte aqui para contar-me se já fizeste o que te pedi.

Com medo Maria deixa o telefone, pega a arma do patrão e se dirige ao quarto da patroa. Do outro lado da linha o portuga escuta o som de gritos e três tiros. Minutos depois Maria volta ao telefone ofegante:

— Está lá?

— Estou cá Maria, fizeste o que te pedi?

— Sim senhoire, os dois estão mortos! Entrei no quarto e disparei um tiro certeiro no peito da patroa que morreu na hora, o gajo que estava com ela fugiu pulando a janela do quarto mas eu fui atrás dele. Alcancei-o perto da piscina e dei dois tiros pelas costas, ele caiu morto...

— Piscina??? Mas Maria, minha casa não tem piscina! Espera lá, aí não é da casa do senhoire Manuel Pinto do Rego?

— Não, aqui é da casa do senhoire Joaquim Leite de Barros...

— Aí Jizuix! Desculpe foi engano...

Velocidade da Luz

O portuga Manuel liga pra uma companhia aérea:

— Está lá? Se faz favoire, será que podes dizer-me quanto tempo demora um vôo entre Lisboa e São Paulo?

— Só um minutinho senhor...

— Ó pá! Não achava que era tão rápido assim, obrigado.

terça-feira, Outubro 10, 2006

O Portuga Vai Ao Médico

O portuga Manuel não estava se sentindo bem e resolveu ir consultar um médico em São Paulo.

O médico coloca o estetoscópio no peito do portuga e diz: — Muito bem senhor Manuel, diga três vezes trinta e três.

E o Manuel não falava nada.

Médico: — Senhor Manuel, por favor, diga três vezes trinta e três.

E o portuga Manuel tremendo e suando, como se estivesse fazendo um esforço enorme, ainda não falava nada.

O Médico já sem paciência: — Por favor senhor Manuel, pela última vez, diga três vezes trinta e três.

E o portuga ofegante responde: — hummmm.... 147?????

A Pomba e o Portuga

Os portugas Manuel e Joaquim vinham caminhando por uma praça de Lisboa quando de repente uma pomba cagou bem em cima da cabeça do Manuel:

— Ó raios! Joaquim vejas o que tem aí em cima da minha cabeça ó pá?

— É merda Manuel!

— Não sejas burro Joaquim, estou a falaire do que está em cima da minha cabeça e não do que tem dentro dela ó pá!

O Portuga Aviador

O portuga Manuel estava pilotando um avião quando entra em contato com a torre de controle de tráfego aéreo do aeroporto de São Paulo:

Portuga Manuel: — Está Lá? Aqui quem está a falaire é Manuel, peço permissão para pousaire.

Torre: — Informe sua altura e posição.

Portuga Manuel: — Eu tenho 1,57m e estou sentado ó pá.

Torre: — Não imbecil, a rota!

E o portuga Manuel solta um tremendo arroto no comunicador: — ARRRRRRRRRRRRRROUTTTTT!!!

segunda-feira, Outubro 09, 2006

Portuga Teimoso

Os portugas Manuel e Joaquim estavam passeando pelas ruas de Lisboa quando o Joaquim gritou para o Manuel:

— Cuidado Manuel! Quase que tu pisas na merda!

Manuel se agachou, deu uma cheiradinha... e disse:

— Ó raios Joaquim, tu és parvo? Isso não é merda ó pá!

O Joaquim ainda duvidando se agachou, deu uma cheiradinha também... e disse:

— Aí Jizuix Manuel, é merda sim ó pá!

Manuel teimoso, se agachou novamente... passou o dedo... sentiu a consistência... e disse:

— Isto não é merda ó pá!

Já nervoso o Joaquim se agachou, passou o dedo, colocou na boca, sentiu o gosto... e gritou:

— Ó raios Manuel, é merda sim ó pá!

Manuel ainda não acreditando também se agachou, passou o dedo, pôs na boca, sentiu o gosto... e disse:

— Ora pois pois Joaquim! Desculpe, tu tinhas razão é merda mesmo ó pá!!

Carta de Uma Mãe Portuguesa


Coimbra, 8 de março de 2006.

Querido Filho,

Escrevo-te estas linhas para que saibas que tua mãe está viva. Vou escreveire bem devagar, pois sei que não consegues ler depressa. Caso estejas sem tempo de escreveire à mãe, manda uma carta a dizeire que quando estiveres com mais tempo vais mandar notícias. Se tu viesses hoje cá em casa não irias reconheceire mais nada, porque mudamos de casa.

Temos agora uma máquina de lavaire roupa. Mas não trabalha muito bem.Na semana passada pus lá 14 camisolas, apertei o botão e nunca mais as vi. Se calhar esta marca "Incinerador" não é das melhores.

Tua irmã Maria está grávida. Mas ainda não sabemos se vai ser menino ou menina. Portanto, não podemos dizer-te se vais ser tio ou tia.

Teu pai arranjou um bom emprego.Tem 12.300 homens abaixo dele. Ele é o responsável pelo corte da grama do cemitério. Quem anda sumido é teu tio Nuno, que morreu no ano passado.

Lembra-te do teu tio Joaquim? Então, afogou-se no mês passado num depósito de vinho. Oito compadres dele tentaram salvá-lo, mas o tio lutou bravamente contra eles. O corpo foi cremado há duas semanas. Levaram oito dias para apagaire o incêndio.

Os engarrafadores de sumo cá em Portugal finalmente tiveram uma grande idéia de colocar uma indicação na tampinha, a dizeire: "abra por aqui". Facilitou-nos muito a vida. Espero que os daí façam a mesma coisa.Caso esteja difícil para ti, a mãe te manda algumas garrafas.

Teu irmão, Gonzalo, continua o mesmo de sempre. Semana passada fechou o carro com as chaves dentro. Perdeu um tempão, indo até a casa pegar a cópia da chave, para poder tirar-nos todos lá de dentro do automóvel. Estava um calor do caralho. Por falar em calor, o tempo cá em Portugal está muito estranho. Esta semana só choveu duas vezes. Na primeira vez choveu durante 3 dias. Na outra vez choveu durante 4 dias.

Esta carta mando-te através do José, que vai amanhã para aí. A propósito, será que poderias pegá-lo no aeroporto?

Lembrei-me de uma coisa importante. Terás um problema para falar com a mãe, caso decidas escrever-me. Não sei o endereço desta casa nova. A última família que morou cá, antes de nós, também era portuguesa e levou a placa da rua e o número da casa para não precisar mudar de endereço.

Se encontrares a Teresa, dê-lhe um olá da minha parte. Caso não a encontres, não precisas dizer nada.

Da tua mãe que te ama,

Fátima Melo Pinto Leite do Rego

P.S.: Ia mandar-te 20 euros, mas fica para outra vez. Já fechei o envelope.

domingo, Outubro 08, 2006

O Portuga Na Loja

O portuga Manuel entra em uma loja de eletrodomésticos no Brasil e pergunta ao vendedor:

— Se faz favoire, quanto custa aquela televisão?

O vendedor responde:

— Por favor retire-se da minha loja, nós não vendemos para portugas!

O portuga então vai embora e resolve voltar à loja só que dessa vez fantasiado de inglês:

— Se faz favoire mister, how much custa that tv?

O vendedor responde:

— Eu já disse que nós não vendemos nada para portugas, fora!

O portuga não desiste e resolve voltar à loja só que dessa vez fantasiado de japonês:

— Olá né? Quanto custa aquela televison ali né?

O vendedor já sem paciência grita:

— Pela última vez, fora da minha loja! Eu não vendo nada para portugas!

O portuga furioso pergunta:

— Ó raios! Como é que sempre sabes que sou eu ó pá?

E o vendedor responde:

— É fácil portuga burro. É que aquilo ali não é uma televisão, é um microondas!

Mulher Portuguesa

Mulher Portuguesa
A Maria pergunta pro Manuel:

— Manuel, preferes mulheres bonitas ou inteligentes?

E o portuga responde:

— Ora pois pois Maria, nem uma das duas coisas. Sabes que eu gosto mesmo é de mulheres portuguesas como tu.

sábado, Outubro 07, 2006

Desastre Aéreo Em Lisboa

Notícia publicada em um jornal português:

BOIENG 737 CAI EM PORTUGAL

Lisboa - Ontem de manhã, por volta das 10 horas, um avião boieng 737 caiu nos arredores de Lisboa, mais precisamente sobre o cemitério Alto de São João. As autoridades locais ainda não sabem precisar o exacto número de vítimas da tragédia, uma vez que as escavações na área dos destroços ainda continuam, por enquanto já foram encontrados mais de 5000 corpos!

sexta-feira, Outubro 06, 2006

Portuga No Trem

Estavam em um trem uma garota bonita, uma velha, um brasileiro e um portuga. O trem entrou em um túnel escuro e então se escutou o som de um beijo e em seguida o de um tapa.

A velha pensou:

— Me orgulho dessa menina. Um dos dois rapazes provavelmente tentou se aproveitar da escuridão para beijá-la e acabou levando um tapa.

A garota pensou:

— Um dos dois caras levou um tapa porque tentou me beijar, se enganou e acabou beijando a velha.

O portuga pensou:

— Ó raios, o brasileiro tentou beijar a rapariga e quem levou o tapa fui eu.

O brasileiro pensou:

— Hahahahaha dei um beijo nas costas da minha mão e meti um tapão na fuça do portuga otário.

quinta-feira, Outubro 05, 2006

O Portuga Inventor

O portuga Manuel chama seu filho Joaquinzinho para lhe mostrar seu mais novo invento, uma máquina de fazer lingüiça:

— Veja Joaquinzinho, deste lado da máquina você enfia um burro por este buraco e do outro já sai a lingüiça prontinha.

— Aí Jizuix, isto é incrivel papai! Ora pois pois e se colocarmos lingüiça no buraco daquele lado da máquina será que do outro vai sair um burro papai?

— Não Joaquinzinho, a única coisa neste mundo que consegue criar um burro depois de se enfiar lingüiça no buraco é a tua mãe ó pá.

terça-feira, Outubro 03, 2006

O Portuga Corno

O portuga Manuel estava trabalhando de gari varrendo as ruas do Rio de Janeiro quando foi abordado por um amigo que chegou gritando:

— Portuga! Portuga! Corre pra sua casa que a Maria bigoduda tá com outro homem na cama!

— Aí Jizuix! Eu pego esse gajo paneleiro e corto os bagos fora ó pá!

O portuga furioso vai correndo até sua casa. Alguns minutos depois ele volta:

— E então portuga pegou o cara?

— Ora pois pois, tu te enganaste ó pá! Não era outro gajo que estava lá, era o de sempre ó raios!

As Bodas de Ouro do portuga Manuel

Um grupo de amigos brasileiros estava reunido na comemoração das Bodas de Ouro do portuga Manuel e da Maria bigoduda quando um dos convidados começa a contar uma piada:

— Aí o portuga...

No que foi prontamente interrompido pelos demais:

— Não conta essa piada não porque aqui na festa está cheio de portugas!

— Não tem problema não, eu repito e repito e repito quantas vezes forem necessárias até eles entenderem!

O Portuga No Rio de Janeiro

Antes de viajar para o Rio de Janeiro o portuga Manuel é advertido por seus amigos que lá os motoristas de táxi costumam "voar" nas ruas com seus veículos. Chegando no Rio o portuga entra num táxi:

— Avenida Brasil, se faz favoire.

— Que altura?

— Ai Jizuix! Se tu subires a mais de 2 metros eu pulo fora deste carro, ó raios!

A Besta do Portuga

O portuga Manuel viajava com sua família numa Besta quando por excesso de velocidade foi parado por um policial:

— Muito bem portuga, me mostre os documentos da Besta.

O portuga Manuel entrega então ao policial sua registro de identidade.

— Não, não, eu quero os documentos da Perua.

— Ó raios, porque o senhoire não falou logo policial? Maria o assunto é contigo ó pá!

terça-feira, Setembro 26, 2006

Aniversário da Filha do Joaquim

O telefone toca na casa do portuga Manuel:

— Está lá? Manuel a falaire...

— Olá gajo sou eu o Joaquim! Estou a ligaire para te convidaire para a festa de quinze anos da minha filha...

— Ai Jizuix! Está bem eu aceito o convite Joaquim, mas só poderei ficaire uns dois anos no máximo ó pá!!

Portugas Comedores de Bosta

Os portugas Manuel e Joaquim passeavam pelas ruas de Lisboa, Portugal, quando encontraram uma bosta no chão:

— Manuel! Dou-te 10 euros se tu comeres esta bosta ai no chão...

— Ai Jizuix, tá bom eu aceito Joaquim!

O portuga Manuel então se agachou, pegou a bosta no chão e comeu todinha...

— Ora pois pois, muito bem Manuel! Toma aqui seus 10 euros...

Os portugas continuaram andando quando encontram mais uma bosta de cachorro no chão:

— Joaquim! Agora sou eu que te pago 10 euros se tu comeres a bosta que esta ai no chão...

— Fechado Manuel!

O portuga Joaquim então se agachou, pegou a bosta no chão, meteu na boca e engoliu tudinho....

— Ora pois pois parabéns Joaquim! Aqui estão seus 10 euros...

MORAL DA HISTÓRIA: Os dois portugas comeram merda de graça.

Joaquim Resfriado

— Sabes Manuel, a Maria bigoduda me disse que pra curar meu resfriado era bom bebeire um copo de suco de limão depois de um banho quente.

— Ora pois pois e tu fizeste o que a bigoduda disse ó Joaquim?

— Aí Jizuix, que nada Manuel! Eu nem consegui terminaire de beber toda aquela água quente do banho ó pá!

Portuga na Guerra

— Comandante Joaquim! Estou a avistaire um tropa que se encaminha diretamente ao nosso forte!

— Ai Jizuix! São amigos ou inimigos, recruta Manuel?

— Ora pois pois, acho que são todos amigos ó pá. Estão a vir todos juntos...

Incêndio em Lisboa

Em Lisboa, Portugal, após um incêndio num pequeno prédio, os bombeiros encontraram em meio aos destroços um corpo carbonizado em um dos quartos. Era justamente o avô do portuga Manuel, ele estava de cabeça pra baixo com o dedo indicador apontando para um dos cantos do ambiente. Ao lado do corpo havia um extintor de incêndio em cuja embalagem se podia ler as seguintes instruções:

"...Em caso de incêndio, vire de cabeça pra baixo e aponte para a chama..."

segunda-feira, Setembro 25, 2006

O Portuga Paraquedista

O portuga Manuel entra para a aeronáutica portuguesa na divisão de paraquedismo e faz sua primeira aula prática:

— Ora pois pois recruta Manuel imaginemos que o senhoire está a dois mil metros de altura. Teu equipamento já foi todo checado. O senhoire então saltará por aquela porta. Ao puxaire a primeira cordinha o paraquedas se abrirá. Se isso não aconteceire, o que é muito díficil, puxe a segunda cordinha. Se ainda assim o paraquedas não se abrir, o que é praticamente impossível, puxe a terceira cordinha e ele se abrirá. Lá embaixo, haverá um jipe a esperaire pelo senhoire para traze-lo de volta ao quartel.

O portuga Manuel então embarca em um avião, sobe até dois mil metros de altura e salta. O portuga puxa a primeira cordinha e nada do paraquedas abrir. Puxa a segunda cordinha e nada do paraquedas abrir. Puxa a terceira cordinha e ainda assim o paraquedas não abre, preocupado ele grita:

— Aí Jizuix! Só falta agora o jipe não estaire a me esperaire lá embaixo ó pá!!!